sexta-feira, agosto 24, 2007

Pé caminhador

Não me canso de dar os parabéns pra minha tia pela forma como ela criou os filhos dela: a coragem de tê-los feito acreditar que eles podiam ir longe, mesmo sabendo que isso provavelmente os levariam para longe dela. Batata: o primeiro virou economista de sucesso no Sul, a segunda passou por aqui a caminho de um mestrado na Alemanha, a terceira está brilhando como designer em São Paulo. E minha tia está lá, em Belo Horizonte, tendo por companhia só o meu tio, os parabéns que eu dei a ela e muita, muita saudade. Penso nisso enquanto vejo o João e o Pepê caminharem pela casa. Sem mão dada, sem segurar na parede, sem nada. Caminhando, simplesmente. Em umas duas semanas, eles estarão dando esses passinhos, que tanto já me fizeram chorar, longe dos meus olhos – para os elogios e aplausos das professorinhas do ateliê de descobertas onde eles vão “estudar”. Lá vão eles: pela primeira vez, passar algumas horas por semana longe de mim. Sem dramas. Não tem ninguém em Porto Alegre, nem em Bremen nem em São Paulo, ao menos por enquanto. A crechinha fica logo ali, do outro lado da rua. E eu fico logo aqui, com um vazio tipo o de quando tiraram minha barriga de vinte quilos. Hora de confirmar a convicção de que, no que depender de mim, o João e o Pedro vão fazer desses passinhos trôpegos o começo de uma história linda, que vai seguir pelos caminhos que eles bem entenderem. Nada a ver com criar os filhos pro mundo: os meus pequenos não são do mundo, não. O mundo é que é deles.

11 comentários:

Dante Accioly disse...

Que texto lindo! Que foto linda! Que saudade ENORME! Beijo pros quatro!

Laura disse...

Carol... que coisa mais linda. Linda, linda, linda. A gente nem se conhece, ou melhor, se conhece mais foi tão tumultuado que você nem vai lembrar. Sou amiga do Alberto, a gente estudou junto jornalismo aqui no Recife. E já disse a ele milhões de vezes: sou fã da família que vocês construiram. A gente sente amor o tempo inteiro. Um beijo pra você e para os três rapazinhos.

Felipe Campbell disse...

Hoje em dia tem avião facinho. Mesmo que você vá pra Conchinchina, nunca vai ser mais de dois ou três dias de avião / Ônibus. Quando eles tiverem grandes, já vai ter, provavelmente, uma tecnologia de teleporte que vai deixar as distâncias ainda menores. Sem problemas. O mundo é deles.

Beijocas!!!

Eliane disse...

Sei que o Dante e a Laura já disseram isso, mas foi exatamente o que pensei quando cheguei ao final do texto: que lindo!!!
Quando a gente se reúne aqui e encontra o Daniel e a Joana, fica aquela sensação de que estão faltando esses pezinhos para a alegria ser completa... Saudades minhas e do Rê.

Carol Nogueira disse...

Ei! Beijo grande pra todo mundo! E Laura, seja muito bem-vinda aqui nesse humilde blog! Vocês não perdem por esperar pra ver esses pezinhos caminhando por aí!

FULANA E SICRANA disse...

Nossa, fiquei aprrepiada com o texto.
Sempre passo por aqui. E hoje achei tão lindo o texto que resolvi deixar um recadinho. Bjs e continua nos presenteando com os seus posts.
Sicrana

Ana Luiza disse...

Assim você me faz chorar...entrei aqui, despretenciosamente, na busca por ler uns dos seus textinhos, com saudades de vocês, da minha irmã e querendo ver os meninos. E vejo um texto tão lindu e tão carinhoso sobre: a minha familia! Está dificil ficar longe de todos Carolzinha, você que agora é mãe pode entender um pouco melhor como a minha deve estar se sentindo. Mas lembre-se que cada passo que esse fofos vão dar, é uma homenagem a você, a coisa mais importante da vida deles, a eterna namorada, a mais admirada e mais amada. A mamãe...
beijos grandes em todos! saudades! Ana

Dante Accioly disse...

Olá, Carol. Indiquei teu blog para o selo "The Power of Schmooze Award" - reconhecimento conferido a blogueiros que tentam promover o relacionamento "inter-blogs". Dá uma olhada lá na Página em Construção. Beijo.

Paola disse...

Nem precisava ser mãe para se emocionar com seu texto lindo, amiga! Mas como sou e sei EXATAMENTE do que vc está falando, fiquei aqui enxugando as lágrimas... Que nossos babies conquistem mesmo o mundo. Porque nossos corações eles já levam mesmo antes de chegar, né?

Beijo pro'cê, pro Beto e para essas coisinhas fofas.

Carol Nogueira disse...

Ai, gente! Tá todo mundo chorando, é? Eu vou chorar também, então. A crechinha começa segunda-feira, eu sento e choro e vocês choram comigo, então.
Fulana e Sicrana, sejam bem-vindas! O blog de vocês é tudo de bom!
Dântico Aciólico, o que é isso, companheiro? Eu não mereço. :o) Meio anônima, sempre visito seu espaço virtual. Vou participar mais. Adorei seu blog antiquíssimo.
Aninha, muitos beijos pra você e pra sua família linda. Paolete, idem, idem!
Beijoca!

Cristiane Martins disse...

Lindo modo de pensar.
Adorei mesmo.
Vou voltar mais vezes