quarta-feira, junho 10, 2009

O caso das bics

Jornalista que é jornalista nunca compra caneta: rouba. Não é mal-caratismo. É simplesmente sobrevivência. Todo foca compra caneta no começo. Canetas lindas, aliás, para fazer bonito na frente do entrevistado. Mas com o tempo, de tanto ser roubado pelos colegas, o jornalista desiste e entra para o crime.

Claro que há vários graus de criminosos nesta seara. Faço parte do tipo mais leve, fiel a um código de conduta rígido, de acordo com o qual só bics podem ser roubadas. Bics e canetas de propaganda, tipo “Retífica do Raimundo”. Totalmente roubável. Quanto mais ordinária melhor: se estiver sem tampa e sem a bolinha de plástico do fundo, perfeito – crime sem provas com sensação de pecadinho venial. Roubar canetas especiais, bonitas, de ponta fina, definitivamente é coisa de gente sem escrúpulos.

Acontece que eu agora não trabalho mais numa redação, mas dentro de casa. Não há colegas por perto. Só posso roubar as bics do Beto, o que me coloca numa posição facilmente denunciável. Outro dia as canetas dele chegaram em casa com um papelzinho escrito “Alberto” pregado com durex. Coisa de bancário, fala a verdade.

Pior que isso é a concorrência do João e do Pedro. Eles têm um estojo com 479 canetinhas coloridas. Mas adivinha com qual caneta eles preferem fazer os desenhos deles? Com as minhas, claro. Que têm o papelzinho “Alberto” mas que, agora, são minhas.

13 comentários:

Yashá Gallazzi disse...

Ótimo o texto, Carol! Muito divertido mesmo!

O meu filhote ainda não rouba minhas canetas, mas já tomou para si todo o meu tempo livre.

Ficar por conta da esposa/namorada, por exemplo, é a coisa mais difícil do mundo...

Maíra Brito disse...

vai ter segundo tempo de aniversário, hoje, no Recife! Bora??
=)

bjosss

Daniel Escobar disse...

Carol,

Muito bom comentário. Minha esposa é jornalista, assim como eu. Quando não encontro uma só bic pela casa ou no trabalho, já sei onde procurar...é só ir até a bolsa dela para encontrar pelo menos umas 25 bics no fundo.

Abs

Daniel

Gigi disse...

Muito divertido, Carol, adorei.
bjos pra vc

Felipe Martins disse...

VErdade irrefutável. Por uma época, no Correio, também colocava meu nome nas etiquetas. Já "ganhei" muita gente com a minha caneta na mão.

Beijocas

Gil Sampaio disse...

Maravilhoso seu texto, engraçado porque minha filhinha começou a pegar minhas canetas também e eu adoro quando ela pega minhas canetas e começa a desenhar sentada no chão, enquanto trabalho no computador, ela sentada no chão com as minhas canetas é um convite pra ir pro chão e desenhar com ela e as canetas coloridas dela ficam ali sem muita utilidade.
Ps: Legal quando ela descobriu que tinha Bic Verde e Vermelha.

Beijo e feliz dia dos namorados pra vocês.

cibelle disse...

Reunião dos Ladrões de Bic Anônimos:
Olá, meu nome é Cibelle, eu roubo canetas na redação.

Beijos, Carol!

Amanda disse...

Oi Carol, vc ainda esta na RFI? Eu vou fazer um estagio la em agosto. Beijos!

Anônimo disse...

Carol, não sou jornalista, mas sempre "roubo" canetas. O Jacob não aguenta mais, e de vez em quando abre uma bolsa minha e acha um monte de canetas dele... Seu texto está ótimo, divertido e... explica uma perversão minha que eu talvez devesse levar a sério... e virar jornalista algum dia :-D
Beijos e saudades,
Sandra

Aline disse...

Olá, eu sou Aline e eu roubo bics também...

Carol Nogueira disse...

Gente,
Escrever este post liberou a ladra de bics que há em mim. Só hoje eu roubei duas.

Renato disse...

1) Reponho meu estoque nos hotéis. Levo todas.
2) Também gosto de pegar caneta da mesa de delegados. Só pela aventura.
3) Num deixa os meninos tomarem gosto. Isso é mau presságio!

RC disse...

O negócio é comprar canetas por licitação. Ninguém mais vai querer roubar suas canetas.