quarta-feira, março 23, 2011

Uni-duni-tê modulável



Há alguns meses chegou aqui em casa a musiquinha que os meninos aprenderam na escola para fazer uni-duni-tê.

É alguma coisa como un-deux-trois-le-petit-chi-nois. Não me pergunte o que o chinezinho tem a ver com a história que eu não tenho a mínima.

O caso é que de uns tempos pra cá o Pedro anda inventando versões moduláveis para a música. Quando ela vai chegando perto do fim e ele vê que a mão não vai cair em cima de quem ele gostaria, ele emenda mais uma estrofe: au-bout-de-trois-le-petit-chi-nois, e aí começa de novo.

 O diabo é que, pra rimar, a emenda tem sempre mais dois versinhos – e como a conta aqui em casa é múltipla de dois, o resultado acaba dando no mesmo. Ele emenda outro e outro, até alguém perder a paciência e decidir a coisa de maneira menos ortodoxa. Mas se depender dele, a música não acaba nunca – até que seja ele o escolhido.

Li essa frase de César hoje: “Cremos com boa-vontade naquilo que corresponde aos nossos desejos”. E tive a certeza de que esses sábios não faziam outra coisa da vida que não fosse observar crianças.

5 comentários:

Aline Alonso disse...

Carol, o Pepê é a sua versão masculina! Muito fofo, parabéns!Qto aos desejos, é daí p/ melhor. Espere qdo tiverem 6 anos... Bjs prá vcs, Aline, Lucas & Daniel

Cecilia e Helena disse...

Uau, cheguei aqui pelo Ateliê Basile e estou adorando! Quero poder sentar com calma para ler os seus posts todos!
Beijos
Helena

Leandro Wirz disse...

A frase de César é corretíssima. Por isso acreditamos em tantas inverdades.
Em alguns casos, felizmente.

Anônimo disse...

Carol, vc deveria ser psicologa...Bjs, tia Geleia

Zi disse...

Ei Carol! adoro blogs com histórias e vou ficar aqui para ler tudinho! parabéns pelos textos! bjs Zí
www.casadazi.blogspot.com