domingo, agosto 28, 2011

O clube dos vivos



Quem falou disso foi o David Servan-Schreiber, no livro que ele escreveu um pouco antes de morrer.

Ele conta da briga contra o câncer e fala da importância dos amigos e parentes continuarem envolvendo o doente nas histórias triviais, nas piadas bobas e mesmo nos problemas do dia-a-dia. Assim, mesmo nos momentos mais difíceis, ele ainda se sente parte do clube. Do clube dos vivos.

Isso me emocionou muito, me deixou um nó assim na garganta. Porque acho que me implicou também.

Quando meus amigos parisienses falam das preparações para o inverno ou dos planos pro verão que vem, por mais que eu finja que não, eu me sinto um pouco menos parte do clube.

Acho que pra mim deixar Paris é morrer um pouco.

11 comentários:

ricardo disse...

belíssimo post!

Anônimo disse...

São os tempos de nossa vida, que se vão, mas se renovam e sempre trazem também boas coisas. Novas etapas, nova casa, nova gente em volta. Esse seu tempo foi especial também por ser o tempo de seus anos dourados, days of wine and roses, e dos filhotes. Estes anos ficarão! ( confira o poema memoria, do Drummond).

Gisele Naconaski Casals disse...

ai, ai, ai, carol
pra quem tá chegando agora, só de saber que você vai deixar paris dá uma dor no peito... vamos ficar sem o teu croissant, mon dieu!?

vai minina! desapega! pensa no lulu santos: a vida vem em ondas como o maaaaaaarrrrrrr
num indo e vindo infinito...

boa sorte, bonne chance!!

Anônimo disse...

Sinto a mesma coisa. Vou embora daqui a quatro meses, e já me dói muito pensar em deixar a França e o meu chéri para trás. Tenho morrido a cada dia um pouco, com sorte consigo descer viva do aviao nesse dezembro fátidico!

daniel disse...

nas palavras de dois grandes sábios:

Mano Brown: "você pode sair da periferia mas a periferia nunca vai sair de você, certo mano?"

Hemingway: "Paris: a movable feast".

os lugares é que perseguem a gente

Rita disse...

Imagino...

Anônimo disse...

Qdo os amigos programarem o próximo verão, voce já estará próxima do inverno topical-é só trocar de trópico. Não fique triste - nós ansiamos pela volta de todos.

divinha?! disse...

Vc é parte integrante do nosso álbum ilustrado. Só que daqui a pouco vai ser a figurinha mais rara de todos os pacotes. Seu lugar vai ficar vazio, mas vai estar sempre marcado e reservado pra vc(s) (- "s" muito especial....).
Em todas as páginas.

Andréa disse...

Se fosse comigo, certamente estaria muito triste. Por mais que a gente queira desapegar e deixar as coisas pra trás, não é fácil.
Saber que a experiência foi vivida intensamente e que boas lembranças sempre estarão por perto, pode dar um alento.
Torço para que os novos rumos da sua vida te surpreendam e tragam alegria.

Abs

Anônimo disse...

Quando comecei a vislumbrar a possibilidade de ir a Paris, este foi um dos primeiros blogs que li para me "inteirar" da cidade.
Já são um pouco mais de dois anos de preparação.
Você se tornou íntima.
Tenho várias dicas suas salvas.
Estranho: agora que se aproxima o dia da minha ida, se aproxima o da sua volta.
Uma tristeza também tomou conta de mim.
"Minha Paris" te incluía.

Mas... vida que segue.
Alegra-te que teu amigos te aguardam no Brasil.

Felipe disse...

Gente, mas eu to enganado ou ainda tem tipo 10 meses pra você voltar? Quem lê isso parece que você tá voltando semana que vem.

Carpe diem.