segunda-feira, abril 02, 2007

Eles e eu

Eles estão lá fora, por toda parte - e eu os amo. Eu os amo porque eles falam baixo. Dizem bonjour, bonsoir e pardon a todo mundo, e te lançam olhares cúmplices quando você está em dificuldades (carregando bebês e sacolas, por exemplo). Eu os amo porque eles seguram a porta, porque me chamam de mademoiselle e, quando percebem minha aliança ou meus filhos, se apressam em corrigir o pronome. Eu os amo porque eles têm o cabelo despenteado de propósito. E porque elas são lindas e totalmente tendance. Combinam manteau com shortinho, bermudas com botas, meias três-quartos com saia e ainda por cima usam boinas. Eu os amo porque eles amam ler. Eles lêem nos metrôs, nos ônibus, no andar de cima da bibliotequinha que fica bem ao lado da minha casa. Eu os amo porque os acadêmicos deles são apaixonados, e não burocratas como os nossos. Eu os amo porque eles montam vitrines caprichadas com sobremesas gostosas – e porque vendem chocolates Lindt a um orrô. Eu os amo porque ele fazem waffles de Nutella no meio da rua e por isso a cidade inteira tem cheirinho de lanche de vó. Eu os amo porque eles amam os bebês, e eles levam seus bebês para todos os lugares possíveis e imagináveis, e vendem todas as coisas possíveis e imagináveis para os bebês. E, claro, porque eles não cansam de dizer que o João e o Pedro são super-beaux e super-mignons. Eu os amo porque eles fazem piquenique no domingo de sol, porque eles andam pelas ruas todo o tempo. Eu os amo porque eles moram em Paris, sabem disso, e tratam essa condição com o respeito que ela merece. Eles amam Paris, e eu os amo porque é lindo a pessoa amar a sua cidade. Mas claro, às vezes, bem às vezes, eu não os amo tanto. Porque eles fumam quase tanto quanto lêem. E porque, absolutamente, eles não falam a minha língua.

13 comentários:

Anônimo disse...

:)) Maior legal, este blog!

Mariana Studart disse...

Oi Carol! Amei seu blog novo! Nem deu pra gente se ver antes de vocês irem embora... Mas o mundo dá milhões de voltas, e quem sabe numa dessas ele não me leva aí pra Paris, né?

Beijo pra você e pros meninos!

Mári

Dante Accioly disse...

Cumade!!!! Que texto lindo!!!! Já tá nos meus favoritos!!!!! Beijão!!!!!

Anônimo disse...

Bom retorno
Já estava com muuiiitas saudades...
Já tbém add aos meus favoritos.
Este texto já tem cheiro de livro.

Kia

Anônimo disse...

ooooba! adorei! :) beijos, sá.

Flavia disse...

Que bom que vc voltou a escrever.
Eu também amo os franceses e amo Paris, minha cidade preferida para passear. Pena que este ano quando voltar Europa vou passar apenas algumas horas em Paris.
Beijos
Flavinha

Cibelle disse...

Oi, Caroleta. Eu bem que tentei encontrar vc assim que cheguei e antes de vc partir. Pena que não deu, mas fica para outra. Quem sabe em Champs-Élysées?

Anônimo disse...

vc é demais!

Anônimo disse...

Oi Carolzinha,
Ta lindo seu novo blog... eu gostava muito do adoroodeio (ainda existe?) mas esse ta mais cult, mais charmoso, talvez pelos novos ares que estão te inspirando e que voce esta respirando e pelos seus três "musos inspiradores" tambem. Quando estava lendo pensei a mesma coisa que a Kia, comentarista, que esses seus textos ja tem cheiro de livro... va juntando e pensando nisso que dá certo. Quero organizar a tarde/noite de autógrafos, ta? Bjos, com muuuiiiitttaass saudades e carinho. Escreva sempre...
Mãe

Anônimo disse...

Ei, Carol!
Amei esse post. Aliás, amei seu blog! Bom compartilhar um pouco disso com você, né?
Beijos, Daney.

Felipe Campbell disse...

Muito legal esse seu texto e esse seu espaço novo. Como sempre, você é mágica na hora de observar as coisas e o mundo que a cerca, e principalmente na hora de colocar isso em palavras. Já coloquei nos favoritos lá.

Beijocas e saudade!!!

Anônimo disse...

Acho que eles carregam os bebês por onde vão pq no primeiro mundo babá é muito caro... nada contra os bebês, mas eles não combinam muito com museus, por exemplo.

.JoãoGui. disse...

Genial.
Mesmo.