quinta-feira, maio 10, 2007

Outra pessoa

Não sei se foi a chegada dos meninos, a entrada na década balzaquiana ou a mudança de continente – mas eu não sou mais a mesma pessoa. Sabe a mocinha moderna, antenada e um pouco blasé que eu sempre tentei ser? Ela não existe mais. Aqui, o que existe é uma pessoa mãezinha, dona-de-casa e força-amizade. Moderna, ainda, mas super, super mulherzinha. Primeiro, eu venci o preconceito contra a hidrogestante. Depois de ter dedicado minha existência a esculhambar quem achava que “fazer hidro” era praticar esporte, eu me tornei uma das mais assíduas e entusiasmadas alunas da hidrogestante – que, vamos combinar, é a única aula do mundo que consegue ser ainda mais fraquinha do que a hidroginástica tradicional. Já tratei do assunto antes: de como, depois de muito resistir, eu troquei meus papos suuuper antenados sobre moda e política para me tornar uma mãe verdadeiramente monotemática, colecionadora de telefones de fornecedores de protetor de berço e capaz de indicar uma dezena de livros sobre a maternidade. Pois hoje eu fui mais além rumo à mulherzice total. Depois de ter recebido um recadinho da vizinha convidando pra conhecer os colares que ela vende, eu fui. Eu, que sempre critiquei os momentos-força-amizade. Eu, que sempre abominei a interação obrigada com pessoas desconhecidas. Eu, que odeio café – fui à casa da vizinha de baixo e tomei um expresso com ela (uma espanhola muito, muito simpática) e duas senhoras que prometem me ajudar a encontrar uma creche pros meninos. E, quer saber?, foi ótimo.

10 comentários:

germana disse...

carol, ser mulherzinha é o que há. tou ficando sua fã!

Anônimo disse...

Mulherzinha, a hidro de barrigudas é muito legal e a gente nem fica com peso na consciência de não se esforçar direito na aula!
Quanto à mudança de postura, morar fora nos dá essa possibilidade ótima de nos reinventarmos a todo instante, aproveite tudo que for novo! Beijos nos pimpolhos e em vocês! Ana Cris(kiko)

Anônimo disse...

Ei, Carol.
Quando é que vocês vêm tomar um expresso aqui em casa, hein? :)
Beijocas!
Daney

Georgeana disse...

Bem vinda ao clube!!! Momento lindo, maravilhoso! Curta muito essa fase mulherzinha, monotemática, cheia de paninhos, fraldinhas...é uma delícia...mas, infelizmente, passa...só uma coisa é certa:você nunca mais será a mesma pessoa!!! Beijo

Johnny Papoula disse...

Pois é, Carol.
A vida, depois de filhos, se torna muito mais maravilhosa. Costumo dizer que mãe e pai (também, por que não?), nos tornamos "polianescos", não acha?
Beijos e parabéns por assumir esse novo lado.

Maíra disse...

Oi, Carol! Tudo certinho por aí? Senti coisa parecida... na verdade, sinto coisa parecida, diariamente. rsrsrsrsr... Sabe, às vezes acho sinto q a mudança de atitude tem a ver com o amadurecimento mesmo. Sei lá! deixamos de ser adolescentes, jovens e começamos a focar energia em outras coisas mais confortáveis q a agitação de antes. Afinal, a segurança dos babies te garante noites tranquilas, né? E vizinhas amistosas são de grande valia - melhor cultivá-las. É como se nossas atitudes parecem se relacionar com decisões q favoreçam o aconhego. Ou será q tô passando da fase mulherzinha pra fase vovozinha?
ehehehehehe
bjossssssssssss

Anônimo disse...

adoro participar das mudanças pessoais de quem amo! acho que estamos no mundo justamente prá isso: prá evoluir.
seja feliz, mulherzinha ou não!!!
Ju.

Felipe Campbell disse...

Mude, mude, mude. Se transforme. Mas não fique uma pessoa xarope e monotemática. E não se esqueça dos amigos que estão longe de entrar no universo maternal!!!

Beijocas!!!!

germana disse...

carol,a amanhã é o dia das mães aqui no Brasil. não sei como é aí. Você aproveita e comemora o nosso e o francês, porque tu é mesmo uma maezona! beijo.

Anônimo disse...

Estou chegando aí dia 29/09 e quero muitas conversinhas sobre temas variados. Com cerveja, por favor. Nada de café-de-tia.
Um beijo, amiga!
Pepê