quarta-feira, março 12, 2008

Falando brasileiro

No início, eu achei que era ignorância. Do tipo a capital do Brasil é Buenos Aires. Hoje eu sei que não é nada disso: a questão é bem mais filosófica. Os franceses realmente acham que a gente fala brasileiro, e não português. Sempre que eu tinha uma oportunidade, eu explicava: olha, não existe essa língua. No Brasil, fala-se português, como em Portugal. Trabalho de formiguinha, catequese com quem topava o meu caminho. Até perceber que não adianta. A imagem aí em cima é a capa do Petit Larouse francês-brasileiro, brasileiro-francês. Está em todas as livrarias. Eles me explicam que o sotaque é muito diferente. Que disseram para eles que muitas das palavras são diferentes. E que, bom, o Brasil é o Brasil, e Portugal - que entre 1958 e 1974 infestou a França com mais de um milhão de imigrantes fugidos do regime salazarista - é Portugal. Eles querem dizer com isso que o português é a língua do vigia, do porteiro, da faxineira. E o brasileiro é o que se fala naquele país exótico e tropical que seria tão bacana conhecer. Tem compatriota meu que bate palmas, acha bom, está mesmo na hora de deixar de síndrome de colônia e assumir nossa língua própria. Eu não acho. Por toda a história que essa língua tem, a identidade que ela carrega, misturada, subvertida, desrespeitada, mas tão cheia das raízes que explicam o que somos, o dicionarinho de bolso ali em cima partiu meu coração lusofônico.
Você, eu não sei. Mas moi, je parle portugais.

15 comentários:

Dante Accioly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dante Accioly disse...

Putz, Carol. Acho lindo o fato de falarmos Português, assim maiúsculo. Acho nossa língua maravilhosa. Sonora, aberta e musical. Quanto mais se sobe ou desce em nossa geografia, mais ela ganha em entonações, dinâmicas e ritmos próprios. Singulares. Mas... Acho sim que nosso Português é diferente do Português dos gajos. Nem melhor, nem pior: só diferente. A palavra "violão", por exemplo, não existe em Portugual. Só no Brasil. E é uma palavra linda. Mais do que isso: é uma palavra necessária. A língua é, pois, influenciada e forjada pelo uso que damos a ela. Claro que o uso que se dá ao Português no Brasil (com toda a mistura que temos por aqui) é diferente do uso que se dá em Portugal, Angola e Timor Leste (com todas as suas respectivas misturas). Talvez não seja o caso de se falar em línguas "divergentes" ou "discordantes" - como as saxônicas são em relação às latinas. Mas talvez sejam línguas diferentes com uma raiz comum, da qual talvez o tempo se encarregue de um dia definitivamente afastar e romper. Em resumo, penso como Noel Rosa:

"Essa gente hoje em dia
Que tem a mania da exibição
Não entende que o samba
Não tem tradução no idioma francês
Tudo aquilo que o malandro pronuncia
Com voz macia
É brasileiro,
Já passou de português".

Felipe Campbell disse...

Nosso português é tão diferente do de Portugal quanto o inglês americano é diferente do inglês britânico ou do australiano ou do neozelandês.

A língua é igual, na boa. E vou além: a gente fala é espanhol. As línguas são quase iguais. Se a gente não precisasse escrever, dirita que português e espanhol são a mesma coisa, só com uns "ión" em vez de "ão" e uns "is" no meio das palavras. Pronto, acabei de descobrir que a gnete não fala português, mas latim!!!

E, a exemplo do Dante, vou colar uma música Latina aqui (o original é em romeno).

"Hoje é festa
lá no meu apê
Pode aparecer
Vai rolar bunda-le-lê

Chega aí
Pode entrar
Quem tá aqui
Tá em casa

Tá bom
Tá é bom
Aqui
ninguém fica só"

Carol Nogueira disse...

Dante: pensa que deprê ter uma língua de um país só. É tão menos solitário fazer parte do mundo lusófono. Adoro!
Fê: é tão bom ter amigos com nível cultural elevado! Morro de orgulho!
BEIJO

Dante Accioly disse...

O argumento do Mr. Campbell me convenceu (principalmente a parte sobre o Latino). Vou então reconsiderar o que disse. Se a gente encarar a língua como um código gramatical (uma sintaxe), claro que o Português que lemos/escrevemos aqui é igual ao que se lê/escreve em outros lugares. No entanto, apesar de a relação sintática entre os elementos da frase ser rigorosamente a mesma em Portugal, Brasil, Angola e Timor Leste, o vocabulário (conjunto de palavras que se usa) varia de lugar para lugar. Em boa parte das vezes, a comunicação é possível porque conseguimos decifrar a lógica como o discurso se constrói (e isso se dá em relação ao Espanhol também). No entanto, podem ocorrer situações em que a comunicação seja prejudicada pelo desconhecimento mútuo do vocabulário. Prejudicada, mas não inviabilizada. Em suma, concordo com vocês: isso não faz do nosso Português uma "outra" língua. Mas talvez faça dele, em casos específicos, um ramo vocabular diferente do Português que se lê/escreve em outros lugares. Acho que é isso. Beijo.

Dante Squarisi Pasquale.

Felipe Campbell disse...

Carol, eu lembro que quando estudava o leste europeu era essa a sensação que eu tinha, a de que basta uma meia dúzia de gato pingado falar uma coisa pra nego declarar independência e falar um idioma.

Por exemplo, vc vai na Hungria e lá fala húngrao. E só lá.

Na República Tcheca, nego fala tcheco. E só lá.

Na Eslováquia, eslovaco. E só lá.

Na Romênia, romeno. E só lá.

Na Ucrânia, ucraniano. E só lá.

Na Lituânia, lituano. E só lá.

Na Polônia, polonês. E só lá.

Na Macedônia, macedônio. E só lá.

Acho que a única excessão era a Áustria, que fala alemão (e não austríaco). Não à toa, a Áustria não passa de um gueto da Alemanha, hehehee...

Eu sou brasileiro que fala português sim.

Beijocas

Goutas disse...

Taí. Acho que o brasileiro fala brasileiro. Mas o mais engraçado são os regionalismos tupiniquins. Tenho certeza que um gaudério do interior não conseguirá se comunicar com um sertanejo. Longe dos preconceitos, acredito que a língua se modificou do português para o brasileiro. E do brasileiro para os regionalismos. Isso é riqueza cultural.

Anônimo disse...

Em português ou brasileiro, seu blog é uma delícia! Ivanzinho

Anônimo disse...

Oi Carol...
Adorei o blog, muito divertido. O post sobre as roupas floridas me deixou feliz...eu nunca abandonei as flores...tenho batinhas surradas que vão adorar sair do armário...hehehe
sobre nossa 'langue', tô contigo...falamos português. Em agosto passado, eu e Rodrigo estivemos em Portugal e num restaurante em Lisboa o garçom nos disse assim: ahhh são brasileiros? então, deixa eu caprichar no meu sotaque 'arrastadinho'...hahahaha
é isso, falamos português 'arrastadinho'...
beijão
Geórgia

Anônimo disse...

me dá um pedaço desse croissant?! :) sá!

Anônimo disse...

Felipe, ninguém merece!
Carol, vc é uma mocinha muito da esperta!!!

Anônimo disse...

Viadagens a parte desses três, esse dicionarinho vale uma pauta.

Renato

(Anônimo de cu é rola)

Carol Nogueira disse...

Nossa, quantas visitas! A propaganda é mesmo a alma do negócio!
- Dante: isso mesmo! Venha para o lado lusófono da força!
- Fê: acho que é a primeira vez na História que você concorda comigo!
- Gots: as peculiaridades regionais só provam que o português, como língua, permanece intacto. Senão, a gente ia ter de defender um carioquês, um paulistês, e por aí vai!
- Ivanzinho: que ilustre visita! Beijo em Lua!
- Georgia: que saudade! Como vai a futura bailarininha?
- Sá: vem cá que eu dou!
- Rê: e não é? Vende aí!

Anônimo disse...

AMERICANOS FALAM "INGLES" da América,e nao Americano::

MEXICANOS FALAM "ESPANHOL" do México, e nao mexicano::

BRASILEIROS FALAM "PORTUGUES" do Brasil!! e nao brasileiro. Bando de babacas

Catia disse...

Gente pelo amor de Deus entendam que as diferencas encontradas entre o portugues lusitano e o portugues brasileiro sao apenas variacoes, acham que o espanhol do mexico, do peru, da argentina, etc é igual ao da Espanha?! Acham que o ingles dos EUA, Australia, Canada é igual ao da Inglaterra, que o frances do Canada igual ao da Franca! Claro que NAO, nem por isso existe o falar peruano, o falar argentino, ou o falar canadense etc... claro no Brasil ha influencia do Tupi, do Guarani, de alguns dialetos afros, mas agora pergunto, seriam os brasileiros capazes de lerem e se comunicarem em tupi, em dialetos afros ou guarani?!!A resposta todos sabemos NAO!! Seriam os brasileiros capazes de lerem e se comunicarem atraves do portugues lusitano?!! Obvio que sim...alem do mais gostaria de lembrar que muitas das palavras que usamos no Brasil so nao sao de conhecimento dos portugueses atuais porque elas cairam em desuso e visa e versa, muitas vezes usamos o portugues antigo e os jovens portugas nao as conhecem, apenas os portugues antigos conhecem...entao gente pelo amor de Deus, parem de fazer todos os brasucas pagarem MICO, parem de nos fazer passar vergonha, falamos o Portugues brasileiro e isso nao vai mudar, o Brasil nao tem um idioma que se chama BRASILEIRO e jamais o tera, pois toda a estrutura da lingua é PORTUGUESA!!!