quinta-feira, abril 10, 2008

A quem interessar possa

Em Roma como os romanos, certo? Já conversei com um bocado de gente, e descobri que isso não é regra geral em Paris. Mas no meu prédio funciona assim: as pessoas pregam um bilhetinho prosaico para avisar quando vão dar festa. Escrevem, sexta tem festa - a gente entende, preparem seus ouvidos.

Por um lado, acho bonitinho e educado. Por outro, acho bizarro avisar e não convidar. Mas enfim, fiz como eles: segui a tradição e avisei. Segui também o exemplo do meu vizinho esperto - e festeiro - e tirei o aviso antes da festa começar, evitando reclamações desaforadas anotadas num canto de papel.

Ainda assim não fiquei livre do day-after. Para além do bonjour, a vizinhança educadíssima passou a semana dando os parabéns e perguntando que tal meu aniversário - uma mais ousada teve a desfaçatez de investigar com o Beto quantas velas tinha o meu bolo. Mas é da conta dela?

Saudade do tempo em que vizinho brabo com barulho descia pra festa e se convidava pra farra.

10 comentários:

Felipe Campbell disse...

Que felicidade seria se eu tivesse carta branca para fazer festas com um simples colocar de bilhetinhos...

Meus vizinhos são idosos ou com crianças. Dá 22h01 e tem barulho e lá vem a mala do síndico reclamando.

Opressor e intimmidador.

Beijiocas

Anônimo disse...

Que massa! Amei essa regrinha de boa vizinhança.
Vou coloca-la em prática no meu condomínio.

Beijos.

Sicrana
www.notoilet.blogspot.com

Dante Accioly disse...

Cumade.

Isso é muito pitoresco - como diria meu pai!. Lembro quando você comentou sobre esse hábito do pessoal aí do prédio. Confesso que aqui em casa fico meio grilado de fazer um som de voz e violão depois das dez da noite. É tudo muito próximo dos vizinhos... Meu bloco é como o do Mr. Campbell: tudo muito "opressor e intimmidador". :) Beijo em todos aí. Valeu pela força que cês deram à Bia. Beijo.

Cumpade.

Eliane disse...

Carol,

lembra as farras lá em casa, quando todo mundo trabalhava no Correio? Até sua avó apareceu um dia... Tem duas coisas que não entendo: como cabiam tantas pessoas naquela sala minúscula e como meus vizinhos nunca reclamaram...
Beijo,
Li

Carol Nogueira disse...

- Fê, é que os seus amigos não são pessoas comportadas. Eles bebem muito e ficam chorando na piscina da sua mãe.
- Sicrana, será que funciona no Brasil? O povo vai baixar na sua casa!
- Dante, que saudade do seu violão.
- Li, que saudade das nossas farras (isso inclui o violão acima).

Natália Ribeiro disse...

Por um acaso achei sei blog e a-do-rei! Adoro sobre tudo, pois meu sonho de consumo é a França, Paris etc. Fico lendo e sonhando com o dia que morarei ai.

Gostei muito do comentario, que a educação mora na França e a simpatia no Brasil.

vou continuar lendo seu blog, espero que não tenha problema.

beijos,

Natália Ribeiro

Anônimo disse...

Carol,

rsrs, com certeza. Eles chegam, tomam uma cervejinha e ainda levam um pratinho para casa, rsrs.

Sicrana
www.notoilet.blogspot.com

Anônimo disse...

Carol,
Adorei o Blog!
Moro em Berlin e o hábito do bilhetinho, também, existe por aqui. Só que, em geral, o convite é feito para os vizinhos. E alguns aparecem...
Meu bilhetinho é..
hoje seremos um pouco barulhento, mas se quiser venha tomar uma caipirinha com a gente!
Um beijo,
Daniela

Carol Nogueira disse...

Natália, seja sempre bem vinda! Adoro visitas novas!
Sicrana, mas talvez isso seja bom, né?
Daniela, vou tentar sua fórmula da próxima vez. Será que os vovôs do prédio vão se tocar que o convite não é exatamente pra eles?

Anônimo disse...

Oi, Carol
Acho que os vovôs se tocam, sim!!! Na verdade não sei, pois mora no bairro com a maior taxa de natalidade da Europa...basicamente, só tem jovens. Alemão é um bicho meio fechado e acho bacana poder compartilhar meu espaço um pouco com eles.
beijo,