terça-feira, setembro 15, 2009

O fim (e outros começos)

Tudo na vida chega ao fim, até as coisas mais improváveis, como a minha monografia. Rolou um alívio rápido (parecido com o da Amanda) rapidamente suplantado pela profunda nostalgia de ter perdido, de novo, o estatuto de estudante. Ironia: vou ganhar um título e perder outro.

Porque na minha vida prática, sinceramente, mais importante do que ser mestra é poder nomear minha atividade cotidiana. E me sinto pouquíssimo à vontade hesitando entre mãe-de-família e desempregada.

Daí que venho trabalhando mentalmente nas respostas possíveis à fatal pergunta do chato de plantão, tipo e aí?, o que você faz aqui em Paris?

Bom, eu acabei de terminar um mestrado. Ou: sou jornalista freelancer. Ou: sou professora freelancer. Ou: sou pesquisadora freelancer. Ou: eu faço um blog!, quer ler? Ou: eu escrevo uma coluna semanal no blog do Noblat!, quer ler? Ou então: cara, eu me divirto. Muito. Ou: eu cuido dos meus filhos e quando sobra tempo eu existo. Ou então: não é da sua conta. Ou ainda: varia muito. Amanhã, por exemplo, eu vou fazer uma bolsa.

18 comentários:

Gigi disse...

Adorei, Carol, também passei muito sufoco aqui para explicar o que, afinal, eu faço da vida além de morar aqui com meu marido. Agora eu posso falar feliz da vida, "sou estudante de MBA".
Mas a resposta que eu mais gostei da sua lista foi "não é da sua conta"! Hehehe...
bjos

Anônimo disse...

Adorei a noticia de vc ter teminado sua monografia... o resto manda este povinho ver o qto é bom ser mãe. Curte a sua bolsa bjs dinda

Mariana disse...

Putz Carol, parabéns!!! Acabei de entregar o meu mémoire de master 1 e sei bem o trabalho e o stress que a gente passa estudando e cuidando da cria! Adorei as opções de atividades na França... hehhe.
Parabéns de novo, que nos merecemos!!!
bjus!!!!
(vc vai no encontro de blogs??)

Leandro Wirz disse...

Parabéns pela monografia, mestra. E pelo texto.
Bem, ocupe-se em Paris sendo você. Isso basta. Quanto ao chato de plantão que fizer a pergunta, manda ele ir se...

Amanda disse...

Parabéns!!! Vai ter que defender?
Olha, eu acho que preferia estar terminando o mestrado do que ter que fazer um segundo mémoire esse ano e manter o status de estudante. Pq é tão dificil ser jornalista na França?
Beijos!

Avassaladora disse...

Hahahaha... engraçado, né! Sempre tem um chato de plantão pra te julgar, né?
Parabéns pelo título, agora vai pro Doutorado???

Bailarina disse...

Adorei a idéia da bolsa! Depois tem que ter foto aqui pra matar a nossa curiosidade!

Yashá Gallazzi disse...

Ora, quem VIVE EM PARIS não precisa de outra ocupação!

" - O que você faz?"

" - Ah, eu vivo em Paris..."

Tá bom demais, acredite! Você deixa, com isso, de ser estudante, para se tornar uma bon vivant!!!

Olhando para o seu texto, a melhor resposta foi: "cara, eu me divirto. Muito. Ou: eu cuido dos meus filhos"

E só!!! Aproveite o merecido descanso caminhando com os filhotes pela cidade.

Gigi disse...

Ah, e que cabeça a minha! Parabéns!!!!

Bel Butcher disse...

Parabéns, Carol. Missão mestrado se foi! Meu dia ainda vai chegar. Enquanto isso, corro contra o relógio.

Agora, aproveite esse vazio, esse entre atividades, para botar a vida em dia! (imagino a quantidade de coisas para resolver!)

Felipe Martins disse...

Parabéeeens!!!

Mas desestressa com a cobrança. Aceite alcunhas como "desocupada", "fora de atividade", "celibatária profissionalmente falando", "saboreadora da vida". E por aí vai.

beijocas

Mariana disse...

Parabéns, Mestra!!! Desliga dos chatos de plantao pq dar conta de mestrado, família e tudo o mais q vc arranja e acaba fazendo tao bem é um sucesso q merece devida comemoracao! Beijao da Alemanha (qd é q vcs vem me visitar?!) Mari

sidneif disse...

Olá, Carol!

Parabéns, mestra!
Num momento desses, a sensação de perda sempre nos ronda. Martela na mente o pensamento "algo ficou para trás e não volta mais".
Mas aí é hora desatar o cordão umbilical, porquanto não é o fim. É o começo. Sonhos e desafios sempre nos esperam em cada esquina...
Aos chatos de plantão, bem aos chatos de plantão esbanje seu melhor sorriso, tome carona na canção de João Bosco e pontifique: faço os meus sonhos brilhar...

Um grande abraço!
Sidnei Manoel Ferreira

Marina disse...

Carol, parabéns!!! Eu sei bem do que você está falando sobre fatídica pergunta: o que você faz? Mas, sabe, eu acho que, muitas vezes, o chato de plantão mora dentro da gente mesmo, que se cobra muito, que importa com o provável julgamento dos outros (algumas vezes, o outro só está curioso e em outras vai achar ótima a resposta de que você está "apenas" se divertindo)...
Enfim, aproveite a sua conquista, curta a sua bolsa, a família e esta cidade aí!! Beijos da sua leitora-amiga-da-Thais, que acaba de retornar para as terras mineiras!
Marina

Aline disse...

Chatos de plantão, deixem a Carol em paz!Carol, como disse seu amigo, ser a gente mesmo é o bastante (e olha que já é difícil pra cacete)

Gábi em Roma disse...

Parabéns, querida!!
vc me fez lembrar que todas as vezes que alguém me pergunta o que o Alfredo faz aqui em Roma, eu digo que ele é o meu personal. Personal agente de viagens, personal cozinheiro, personal pai do meu filhote, personal cuidador das roupas (é ele quem coloca na máquina), e ainda é personal marido!!!
Ah, eu me junto a você no Sesc, viu?

Anônimo disse...

Parabéns, Carol!! Nossa, vc é uma vitoriosa, com esses meninos pequenos e ainda dar conta de um mestrado... Por que será que mulher se cobra tanto, hein? A gente exerce tantos papéis, e ainda fica preocupada em justificar o que faz..
Nossos somos multifuncionais, tipo Bombril mesmo...Tipo polvo...

wiryblaze@gmail.com disse...

Cara, ri mto qdo li sua postagem! Já tinha lido seu blog faz tempo, mas agora o acessei de novo e como sempre os textos continuam mto bons!
Tbm estou passando por esse lance de correr atrás de uma atividade para ser aceita na sociedade, afinal de contas, ser dona de casa é sinônimo de "vagabundagem", mesmo vc se matando para manter td dentro dos conformes.
Conclusão: fiquei tão ansiosa em me ocupar rapidamente que agora qdo alguém me pergunta oq faço em Paris mando logo uma lista:
- estágio em um trupe de teatro (que é a carreira que pretendo seguir por aqui);
- curso de teatro;
- curso de francês (depois 6 meses morando aqui ainda me sinto um bebê de 2 anos falando);
- curso de flamenco;
- dou aula de yoga gratuito para brasileiros, já que não consigo me comunicar em francês;
- trabalho como voluntária na SPA;
- escrevo um livro (já pensou nisso? É bem gratificante para pessoas que gostam de se expressar e dá o maior status! =D
- e ainda cuido da casa...
Enfim, tô bem ocupada e ainda consigo fazer a pessoa que me perguntou "o que eu fazia em Paris "se cansar de ficar escutando a lista de atividades e mudar de assutno! hahahaha