terça-feira, setembro 01, 2009

Toda sorte do mundo

O ser humano nasce, cresce e lá pelos vinte e poucos, trinta anos, ele se sente razoavelmente à vontade com essa história de viver. Ele já sabe o que gosta e o que não gosta de fazer, sabe mais ou menos com o que deseja trabalhar e, com sorte, já trabalha efetivamente com isso. Com mais sorte ainda, é reconhecido nesse trabalho e ganha dinheiro suficiente para fazer o que se convencionou chamar de viver bem.

Daí que aos vinte e poucos, trinta anos, o ser humano vive a satisfação de ser dono da própria vida. Ele mora sozinho, manda no próprio nariz, entra, sai, vai e volta para onde, com quem e na hora que bem entende. Dorme na hora que quer, acorda quando decide, come legumes quando quer legumes e chocolate quando quer chocolate. Com sorte, sobra algum para viajar. Com mais sorte ainda, sobra o suficiente para ter coisas – um carrinho, um apê.

Ele sabe um pouco de tudo o que importa, tem amigos, ouve as músicas de que gosta, conhece alguns dos lugares no mundo com os quais sempre sonhou. Com sorte, tem um amor. Com mais sorte ainda, tem o amor.

E é aí que o ser humano resolve inventar moda. Ele resolve ter filhos. É quando, do alto da segurança de sua vida de adulto, o ser humano tem um encontro completamente transformador com a incerteza.

Porque o ser humano planeja um menino, mas vem uma menina. Idealiza pintar com as próprias mãos o quarto de cor-de-rosa mas um sangramento que não pára manda ficar nove meses deitada. Faz curso de parto de cócoras, parto na água, natural sem analgesia – e tem pré-eclâmpsia aos sete meses, entrando na faca aos oito.

Para outros, o encontro com a incerteza acontece antes mesmo do teste positivo – justamente porque ele não chega nunca. E o ser humano aprende então a tirar a temperatura no dia da ovulação, aprende a diferença entre inseminação e fertilização, aprende todos os significados da expressão falta de controle.

Quando enfim chega a hora dele rebentar, o ser humano acha que já entendeu que não dá para controlar tudo. A próxima lição é aprender que não dá para controlar quase nada.

Subversão total de regras desde o primeiro dia. Domingos começam às cinco da manhã. Fraldas antialérgicas dão alergia e a mais vagabunda deixa o bumbum igual um pêssego. Ao cabo de um mês e meio, exausto, o ser humano enfim se convence de que, se o terrível vilão leite em pó significa a preservação do seu mamilo purulento, que assim seja.

A herdeira da odontopediatra proscreve chupetas ortodônticas, o herdeiro do violonista não consegue dormir com música. Da papinha multicolorida ele só come o verde. Das roupas sentenciadas diferentes desde o nascimento, eles viram um par de jarros quando passam a escolher as próprias vestimentas. E cada dia parece ser a expressão de uma dúvida que só aumenta, tipo – o que vem agora?

Hoje faz exatamente três anos que eu tive meu mais transformador encontro com a incerteza.

Com sorte, o ser humano tem um filho. Com mais sorte ainda, ele tem dois.

41 comentários:

Aglais Trennepohl disse...

E pelas lindas carinhas de olhos brilhantes você está tirando de letra! Parabéns!

Mariana disse...

Que lindos os teu meninos Carol!!! Parabéns pra eles e parabéns para vc também pois a gente que é mãe sabe que todo dia é uma nova aventura na qual a gente embarca sem saber como vai acabar...
Imagina em dose dupla então!!!
Tudo de bom pra vcs, hoje e sempre!!!

Gigi disse...

Ai, Carol, que texto lindo! Estou grávida, de pouco mais de 2 meses só, pela primeira vez e vc não sabe como esse texto fofo mexeu comigo (bem, pra falar a verdade eu ando bem sensível, mas esse fato não diminui em nada o valor do seu texto).
Parabéns para e pelos pimpolhos, eles são uma graça!
bjos,
Gi

Leandro Wirz disse...

Carol, belíssimo texto, mto bem construído. Parabéns para seus meninos lindos e para sua coragem em vivenciar o encontro com o inesperado e o transformador. Acredito que seja muito gratificante vê-los se desenvolver.

Entre Saia disse...

Amei o texto, que meu transformador e delicioso encontro com a incerteza venha logo...

Felipe Martins disse...

Muito legal esse texto no maior estilo "Uma Breve História do Mundo". Adorei. E é isso mesmo. Eu ainda tô alguns capítulos atrás de você, mas você me conhece: ja já eu te alcanço. Ou então termino meu livro onde está e começo a escrever outro logo do capítulo 10. :)

PArabéns à mamãe mais fofa do mundo, ao paizão do João e do Pedro e, claro, aos dois pimpolhos que já já vão para a escola.

Beijocas

deborah_nogueiraa disse...

não sei se foram as fotos, seu texto, você, a saudade, eles ou tudo junto! só sei que eu to chorando de não me aguentar e rezando pro meu fim de ano chegar mais rápido! amo vocês demais! parabéns pros homenzinhos da minha vida!

Anônimo disse...

Adorei o texto e como complemento os meus dois sobrinhos netos. Parabéns para os papais pela obra de arte e também para os lindões da ti-vó mais coruja do mundo.Beijocas amanhã (hora de BsB)eu ligo para os quatro, Dinda.

Vívian disse...

Parabéns Carolzinha!!! Pra você e para seus dois príncipes! Que Deus os abençoe sempre!
Beijão,
Vív

Solange disse...

Nussasinhora, mas já??? Eu sei bem do que você está falando. Até hoje eu não consigo planejar nada do meu dia, que dirá da minha semana. Será que depois que eles passarem dos 30 a gente tem a vida de volta? :D
(Coisinhas maaaais lindinhas esses dois. E é impressão minha ou um saiu a cara da mãe e o outro a do pai?)

Anônimo disse...

com mais sorte o ser humano tem sobrinhos gêmeos. mas com bem mais ainda não tem dois, não: tem quatro! te amo! feliz aniver aos pequerruchos mais amados do planeta, com muitos beijos e muitas cosquinhas com risadas de saudades, titá.

Mateus disse...

Carol, parabéns para os pequenos! Quanta emoção!! Que venham outros vários anos, várias comemorações e que a gente possa um dia compartilhar desse lindo momento! Que Deus os ilumine e proteja, que guie os caminhos desses lindos menininos! Abraços e beijos muito carinhosos para vocês!

Yashá Gallazzi disse...

Muito lindo o texto! Parabéns de novo. Tanto pela facilidade com que transforma em palavras tais sentimentos, como pela simplicidade com que as encadeia.

Aline Alonso disse...

Carol, parabéns, eles são lindos de viver!! Fiquei super feliz de encontrar seu maravilhoso blog, ainda mais com os seus pequenos fazendo 3 aninhos. Lembro deles na festinha, de Natal, da Ana Flávia em 2006. Já eram fofos demais... Os meus fazem 5 anos em dezembro e, pela primeira vez, viajo sem eles, em 2ªlua de mel com o maridão (e já me sentindo culpada em deixá-los!rsrs)

Joana disse...

Parabéns pelo texto!
Muito gostoso ler o seu blog.
E parabéns pelos filhotes que são lindos.

Denise e Zé Guilherme disse...

a maternidade é uma aventura diária cheia de surpresas deliciosas, né? estão lindos os seus pequenos, demais da conta! eu mal posso esperar pra ver as surpresas que ainda estão por vir... enquanto te leio estou com a minha pequena aqui no colo, que até minutos atrás estava aos berros com cara de fome, mamou por 2 minutos e começou a olhar pra minha cara morrendo de rir e brincar com o peito... agora tá mostrando a língua... enfim, a delícia não acaba!
muita sorte, saúde e felicidade pra João e Pedro! e pra vocês paizões também!
beijos nossos

Carla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla disse...

Carolzinha,
Parabéns pelos 3 anos dos meninos, eles estão uma graça, parecem homenzinhos!!
Lindo o seu texto, me identifiquei muito com a parte que fala da "falta de controle", realmente essa foi uma das lições que aprendi com a gravidez: a primeira que eu tanto queria e não vinha nunca, e a segunda que me pegou de surpresa e me deu o maior susto. O fato é que programados ou não, os filhos são a melhor coisa da vida.
Beijos carinhosos para o quarteto,
Carlinha

Carla disse...

Carolzinha,
Parabéns pelos 3 anos dos meninos, eles estão uma graça, parecem homenzinhos!!
Lindo o seu texto, me identifiquei muito com a parte que fala da "falta de controle", realmente essa foi uma das lições que aprendi com a gravidez: a primeira que eu tanto queria e não vinha nunca, e a segunda que me pegou de surpresa e me deu o maior susto. O fato é que programados ou não, os filhos são a melhor coisa da vida.
Beijos carinhosos para o quarteto,
Carlinha

Anônimo disse...

Carol,
os meninos estão lindos demais! Parabéns pra eles, parabéns pra vcs! E, pra vc, especialmente, pelo texto, tão carregado de emoção! Adorei! E sabe o mais engraçado? Essa noite eu sonhei que estava aí, e que já era ano que vem, no casamento da Tati, e que a gente se encontrou todo mundo, e estavam vc, o Alberto, o João e o Pedro. Isso é que é vontade de voltar! Beijo enorme!
Alécia

:D disse...

Carol, entrei no seu orkut e vim fuçar seu blog... se eu tô chorando, imagina a Sá-manteiga-derretida-desde-pequena...
Bom o que eu queria dizer no orkut, é sobre minha amiga Carol que foi morar aí e tá esperando a Sofia, provavelmente a nova namorada dos gêmeos! Ela vai te procurar!
Bjsss
Tharci

Dante Accioly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dante Accioly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dante Accioly disse...

Ai, ai, ai, Carol. Hoje posso ler teu texto e dizer que sei exatamente do que você está falando. :)

Carol disse...

Ai, Carol, lembro de vc grávida fazendo um link na Câmara. Gente, o tenpo passa. Tou doida para engravidar, amiga. Se eu tiver duas a gente casa eles. Hehhehehehe

Renato disse...

Carol, cê num faz ideia o quanto eu queria tá aí pra dar um beijim nas bochechas desses dois. Aliás, estão muuuiiito diferentes, e ainda mais lindos (dá até pra desconfiar da paternidade...). Ah, parabéns pra vocês dois também. Tive a oportunidade e o prazer de testemunhar como criam esses anjinhos com muito amor, o quanto se tornaram bons pais.

Marco disse...

tenho vinte e poucos, mas é como se tivesse três. esse mundo de gente grande é muito difícil.
parabéns pelos filhos! deve ser transformador!

Marina disse...

Salve, salve, Carol!!! Beijos, Marina

Marilia Velano disse...

Olá, Carol!
Sue blog me foi recomendado pela Lucila e logo de cara já me deparei com um texto tão lindo!
parabéns, pelos 3!
Marília

lucila disse...

Nem acredito que esses dois gatos estao fazendo tres anos e que ja se passou um ano daquele aniversario num domingo de tarde...
amei o texto Carolzinha linda.
Um beijo bem grande pra voces 4.
Lucila

Paola disse...

Ai, amiga, como sempre, seu texto não só traduz o meu sentimento como ainda o faz muito mais bonito!!! Bem sei como é esse encontro com a incerteza. O meu completa quatro anos na semana que vem.

Beijo enorme para você e para o Beto e super parabéns para essas duas coisas fofas!!!!

Ciça Calvoso disse...

Uou! Carol, seus textos estão cada vez mais gostosos, mais profundos, mais sinceros, mais livres, leves, soltos. A-d-o-r-o! Parabéns.

p.s. Gente! Como os pequenos estão diferentes! Como o jeitinho deles tá mudando... Parece que dá para perceber as diferenças e características de cada um por essas 3x4.

p.s. 2: Twittei. a-ha!

Beijos pros 4.

Anônimo disse...

Carol,

Entendemos muito tudo isso! Os meninos são lindos demais. Benza Deus!
Parabéns! Muitos beijos pra vocês!
Beijos, Ana e Kiko

Tati_M disse...

Amiga, lindo o texto! Eh por causa de coisas deste tipo que vc escreve que eu tenho cada vez mais vontade de ter nenen! Amo vc, os meninos e tudo que vem avec!

Amanda disse...

Parabéns para os meninos!! Mas e ai, como foi a rentrée?? Conta, conta!!

Mariana disse...

Carol,que coisa mais linda! Fiquei emocionada com esse texto. E como a incerteza pode ser uma coisa tão boa mesmo! Espero não chegar aí arrependida de não ter levado os meus...
Estou com saudades! Nos vemos na Torre Eiffel em outubro!
Beijos
Mari

Anônimo disse...

Eu vi a carinha deles e deu uma saudade... Vou voltar pra ler com calma, mas agora vou só olhar essas fotinhas. Tia Bella

Elizandra disse...

Você escreve muito bem, adorei o texto.

Anônimo disse...

Carolzinha, recebi esse texto de uma amiga, vi seu nome e vim visitá-la no seu blog "francês". Seu pitchucos estão lindos!!! Muito bom, mesmo, ler o que você escreve! É gente como a gente escrevendo, com maestria, o que a gente sente! Vocês têm planos de retornar ao Brasil? Beijos saudosos, Lê(nícia)

jana disse...

Parabéns pelo texto e pelos lindos meninos!

grace disse...

carol, ainda quero ter aquele papo-de-comadre de mães-de-gêmeos com você. a experiência é mesmo única. bjs