terça-feira, junho 01, 2010

A room of one's own

O que há de atual numa obra escrita há quase cem anos e que reclamava para as mulheres um espaço privado de criação, uma porta fechada a chave, um quarto para chamar de seu?

Para mim, há tudo.

O legal de crescer é poder, enfim, dar-se a prioridade que a gente merece.

8 comentários:

Dante Accioly disse...

Ei!!!! Sai daí!!!! Esse quarto é meu e da Fabíola!!!!!

Mariana disse...

Ja estou ficando louca por não ter nenhum pedacinho do nosso apê parisiense para as minhas coisas e idéias! tudo é dividido à tres...
ai ai..

deborah_nogueiraa disse...

nananão, dante! é meu e da mamãe!
hihi ficou lindo! e essa é a mesa que reclina?

Solange disse...

Eu (ainda) não tenho o espaço, mas as últimas duas horas do meu dia são *minhas e só minhas*!!!

Amanda disse...

Espaço em Paris é o bem mais precioso que se pode ter! Ha 3 anos que venho aprendendo a viver apertada, mas sempre pensando "é temporario". O temporario vai se instalando e quando a gente vê ja fez da sua casa aquele quartinho de 20m². Quando sufoca demais é so dar uma voltinha no Bois de Vincennes que a liberdade volta pra mim.

Anônimo disse...

Lindo!

Eu estou igual à Amanda..."é temporario", "é temporario". Mas todos os dias sonho com um lugar para enfim chamar de meu.

Você me deixou com uma louca vontade de voltar a ler Virginia.

Beijos,
Juliana.

Leandro Wirz disse...

Belo desfecho para o texto. E justo em todos os sentidos.

Agora fala a verdade: esse cantinho só seu e inspirador para seus textos e desenhos é sempre arrumado assim ou isso é pose para a "Casa Vogue"? :)

Bj

Princess Deluxxe disse...

Vontade de Virginia Woolf
Vontade de espaço
E vontade de tempo

=)