domingo, maio 30, 2010

Be stupid

A publicidade é tudo, menos burra – e quando uma marca importante no mundo fala, escute, porque ela sabe do que está falando. Sendo a pior das conselheiras, a propaganda é um dos melhores espelhos da sociedade, porque só conhecendo muito bem seu público ela é capaz de manipulá-lo.

A campanha da Diesel que invade Paris por todos os cantos é a apoteose do vazio da juventude de hoje, e dizendo isso eu me sinto com cem anos.

Don’t be smart, be stupid.

Mil frases para a mesma ideia: ria o riso fácil. Seja bobo. Faça qualquer coisa que não signifique nada.

É disso que se trata o mundo hoje. Estamos alinhados com essa filosofia na mesma medida em que somos jovens e modernos, ou estamos em desacordo na mesma medida em que somos velhos e antiquados.

O que eu penso disso não importa. Aprendi com o Zuenir que o jovem sempre tem razão – senão por outro motivo, simplesmente porque eles vão nos enterrar. O mundo é deles.

O mundo não é smart, é stupid.

11 comentários:

Mel disse...

Que tristeza! Que troste esta apologia da estupidez feita por aqueles que, infelizmente, tem poder de alcance como os marqueteiros. Por outro lado, seu blog e seus textos vão na contramão, e assim, cada um de nós, tenta remar contra esta maré estúpida e vazia.

Sidnei Manoel Ferreira disse...

Prezada Carolina


Sempre bom ler seus textos...

Um grande abraço!

Sidnei Manoel Ferreira
Blog Tabacaria

solica disse...

Meu Deus, como isto é possivel/ Nós deixamos? O que aconteceu/está acontecendo e vai acontecer? ë ir contra desde já, em casa, com os pequenos, no trabalho, fazendo bem e procurando acertar, lutando contra esta onda de aparvalhamento que se derrama no mundo. Quem derrama? A quem interessa? Be smart, gente.

M.enal.i disse...

Adorei o post!
Outro dia escrevi um post mais ou menos sobre isso: sobre saber as regras do jogo, ter visto a penalidade aplicada e não entender o porquê do jogo!
Eu acho que já passou da hora de só acharmos que somos marionetes...os jovens podem ter razão, mas quando ela falta onde eles vão procurá-la???

BeijOOo

Leandro Wirz disse...

Carol, eu tb acho essa campanha da Diesel uma boçalidade total. Estúpida. E tinha pautado ela também para o mar de coisa.
Anyway, vc está certíssima, o mundo não é nada smart.

ricardo disse...

Carol, em Veneza também vi essa propaganda e ela me entristeceu. Hoje, quando completo 52 anos, entendo que o mundo pode até ser dos jovens mas , como consolo, sei que eles envelhecem. Quanto ao Zuenir,é chato ter que discordar de você , mas um homem que valoriza tanto um ano como 1968 ( um ano estúpido) não tem muita coisa para nos ensinar. Beijo ! ( estou aqui em São Paulo)

Princess Deluxxe disse...

Realmente, me sinto velha e antiquada. Presa na minha própria ideologia.
Faz sentido sentir-se velha aos 31 anos?
Oh, céus!



":)
bjosss

Gisa Ferreira disse...

Parabéns pelo texto, Carol. Por mais triste que seja, é impossível negar a verdadeira identidade dessa geração. Sou publicitária e sei que a propaganda nada de braçadas no universo da ignorância, do vazio e da estupidez. O "be stupid" é, sem dúvida, o melhor conselho que ela pode dar ao seu público.

daniel valentim disse...

não sei, mas acho que vocês estão passando ao largo do que a campanha quer dizer. NÃO QUE SEJA UMA BOA CAMPANHA, OU MESMO ORIGINAL, pois a ideia de ligar rebeldia e inconformismo à juventude deve ter sido usada na campanha de marketing do lançamento da roda. a utilização da palavra "estúpido" em vez de "rebelde" serve apenas pra gerar esse tipo de polêmica. o que a marca chama de estúpido não é o jovem vazio que ri de tudo ou o que faz qq coisa que não significa nada, mas o rebelde sem causa (bem diferente, porque num rebelde sem causa o vazio é algo que move, que comove, o vazio-desejo, e o "sem causa" é atributo dado a ele pelos que medem ação apenas pelo risco, pelos que envelheceram, pelos práticos. é a velha ideia do choque de gerações): estúpida, nesse caso, é a inconsequência romântica de um philippe petit; é o bom e velho "stick it to the man" com etiqueta nova.
NÃO ESTOU DEFENDENDO A CAMPANHA, apenas a entendi de um modo bem diferente do que está sendo exposto aqui.

Juliana disse...

Mana Querida,
Concordo com o Daniel. Gentemmm, pensei que eu fosse ser a primeira a criticar seu post!
Consigo enxergar o outro lado dessa moeda, talvez por estar num momento cerebral demais, cercada de cultura e informação por todos os lados...
Qual o problema em rir o riso fácil, ser bobo ou se permitir em alguns momentos fazer qualquer coisa que não signifique nada?
Nem 08 nem 80...
Um pouquinho de tudo não faz mal a ninguém!
Bjo!

Sangue de Barata disse...

Falou e disse, não há nem mais o que adicionar, apenas parabenizá-la. Vamos manter o espírito crítico sempre "on" para poder ver onde poucos enxergam.