terça-feira, janeiro 18, 2011

Perdidos e achados



Domingo, 16 de janeiro, 14h45. CDG. Beto chega e me comunica: uma das malas foi extraviada. Olho para as três que chegaram, duas vermelhas e uma verde. Faltava outra verde.
14h46 - Acho que as minhas roupas e as dos meninos estavam numa das vermelhas. Ou seja, não é grave.
16h - Beto abre as duas malas vermelhas. Cheias de presentes e outras coisas. O cadeado da mala verde está emperrado.
16h01 - Começa minha batalha contra o cadeado da mala verde.
16h09 - Me lembro da batalha do meu pai contra o mesmo cadeado na véspera. Lembro de seus conselhos e começo a tentar todas as chaves (ainda que comprovadamente pertençam ao outro cadeado) no cadeado da mala verde.
16h15 - Volto ao cadeado inicial.
16h25 - O cadeado abre. Como se nunca na vida ele estivesse emperrado.
16h25m01s - Não é a minha mala.
16h25m10s - Bem feito pra mim. Quem mandou comemorar?
16h25m12s - "Pretoooo, é a minha mala e dos meninos que está faltando!"
16h25m14s - "Não se preocupa! A TAM disse que amanhã mesmo a mala vai estar aqui".
16h25m16s - "A mesma TAM que disse que nosso avião sairia na hora na sexta E no sábado? Qual a chance?".
16h25m18s - Saco.
16h25m20s - Oquei, são apenas roupas.
17h - Cara, como eu vou viver sem meu short jeans?
17h03 - Caceta, minha saia perfeita estava dentro daquela mala! Minha vida definitivamente não será mais a mesma.
17h03m30s - Será que ainda tem alguma coisa que preste nos soldes?
17h15 - Pô, meu vestido branco do réveillon. Cento e cinquenta reais e eu só usei duas vezes.
17h30 - Caraca! Minha sandália nova que eu não usei nenhuma vez! Buáá.
18h19 - Meu vestido da feirinha do Recife. Buáááááá!
18h20 - Oquei, são apenas roupas.
19h - "Mãe, cadê minha roupa do Ben10?"
19h00m01s - Putz!, as roupas do Ben10. E do homem-aranha. E todas as camisas do Brasil do João. O João só usa camisas do Brasil. Ele vai querer andar pelado.
21h - Ainda bem que minha mãe me deu essa camisola. E ainda bem que eu botei em outra mala.
21h01 - "Amor, e se eles não acharem a mala?".
21h01m01s - "A TAM te paga quinhentos euros de reembolso".
21h01m05s - "Quinhentos euros my ass. Só meu vestido do réveillon e a sandália já dá quase duzentos. E mais cinquenta do vestido da..."
21h01m06s - Uma imagem horrível cruza minha mente. Eu me achando toda linda no CCBB. Com o meu... adorado.... vestido azul marinho... da... Asos................ (que está na mala).
0h - Insônia. Por causa do fuso horário, óbvio.

Segunda, 17 de janeiro, 8h20. Acordamos atrasados. Os meninos perdem a aula.
9h - "Mamãe, cadê minha camisa do Brasil?"
9h00m01s - "Tá na mala, filho. O moço vai trazer, não se preocupe". Deixe que eu me preocupo por nós dois.
10h30 - Saio para fazer compras no supermercado. Seção de lingerie. Putz, todas as minhas calcinhas fofas...
11h30 - Seção de produtos para casa do supermercado.
11h30m01s - Aaaaaaaaaaaaaaah!!!!! Nããããoooooo!!!!!! Os pratinhos da minha prima! Ah, isso não vai ficar assim!
11h30m05s - "Preto, me dá o telefone e o código de bagagem da TAM. Agora!"
11h31 - "Bonjour, madame, votre valise est déjà avec le transporteur qui vous délivrera chez vous, ils vous contacteront au plus vite".
11h31m15s - Transporteur, coisa nenhuma. Eu quero nomes. E números de telefone.
11h31m30s - "Ne vous inquietez pas, ils vous appelleront".
14h01m - E se o transportador tiver uma filha ou uma esposa (pequena), e eles tiverem dificuldades financeiras?
14h01m15s - Que coisa horrível, Carolina. Não é porque uma pessoa tem dificuldades financeiras que ela vai roubar a mala da outra.
14h01m30s - Isso é porque ele não viu meu vestido azul marinho. Se ele tivesse visto, ele roubava. Mesmo sem dificuldades financeiras.
19h - Ding Dong.
19h00m05s - É o moço da mala! É o moço da mala!
19h00m10s - É a minha amada amiga. "Ooooooooi, amiga, que saudade! Eu achei que fosse o moço da mala!"
19h01 - Ding Dong.
19h01m05s - É o moço da mala!
19h01m10s - O moço da mala toma um tombo histórico na escada dos fundos. Mas juro que não tive nada a ver com isso. Não desejei mal a ele nem à sua esposa pequena imaginária. Foi um acidente.
19h02m - Minha mala amada! :o) Te amo!
20h - Fico sabendo que minha amada amiga foi roubada na semana passada. Levaram computadores, máquina fotográfica, bijus e a coleção completa do Chico. E a reação dela ao meu estupefato foi, sinceramente, dizer: "é lasca, mas paciência. Eram são só coisas".
23h45m - Olho minha malinha ainda fechada com um pouco de culpa pelo meu apego idiota. E muito alívio.

19 comentários:

Anônimo disse...

Ãin... Eu sou bem do tipo "indenização, o cacete! Eu quero as minhas coisas!!!" Quem sabe um dia eu aprendo a exercitar o desapego...
Beijo,

Alécia

Caso me esqueçam disse...

EU fiquei agoniada com isso tudo. quando inventarem uma indenizaçao que cubra as perdas emocionais, o mundo sera mais feliz (ou quando acharem uma forma de serem eficientes nos cuidados das malas dos clientes...)

machay disse...

Que bom que voltou a se conectar ...saudades. Tbém sou apegada as minhas coisas...E como!
Acumulo tranqueiras que não são tão necessarias.
Com os ultimos acontecimentos aqui na serra estou refletido sobre acumulos e desapego. Só por estar de férias sobra tempo para as reflexições. Bjs e ótimo retrono.
PS: Pergunta para o Beto por que o Pelejar não esta pelejando.
Kia

Eli disse...

Carol, tive muito tempo para exercitar meu desapego quando fui visitá-los em 2008! Mas era isso ou não aproveitar a viagem. E, honestamente, não aproveitar a viagem paga em euros é foda!

Amanda disse...

Eeee! Que bom que voltou! Babei nas fotos nos meninos tomando suco na praia! Eu sou muito desapegada, não guardo tranqueira nenhuma, mas acho que se perdessem minha mala de preciosidades do brasil (ou da França, se tiver no Brasil) eu ia virar fera!! Fico contente que sua historia tenha tido um final feliz!

Renato Alves disse...

Mais um belo texto do mundo Polyanna (com todos os ns e ys) de Carol Nogueira.

Paola disse...

Carol, quando voltamos de férias no ano passado, três das nossas malas não chegaram. Eu contabilizava cada ímã de geladeira, cada blusinha, cada coisinha que não tinha chegado e meu coração ia só diminuindo. As malas chegaram, três dias depois, intactas. Mas por este período minhas coisas não foram apenas "coisas"...

Nalva disse...

PROMETIDO E CUMPRIDO, NEM UM DIA A MAIS NEM A MENOS, noBrasil, equilibradamente divididos entre Recife e Brasilia. Todos felizes e muitas saudades.
Se oacontecido tivesse sido na vinda, euentraria na historia como coadjuvante, com a malinhavermelhaque tive acara de paude pedir pra trazerem de Paris. Serei eternamente grata por tanta boa vontade. Aliás total falta de egoismo da parte de voces e se quer saber, de desapego também, pelo bem do proximo.(Nocaso o proximo era a tia folgada que desta vez tinha um sorriso mais sincero!!)Beijos

Anônimo disse...

Ah, isso é mesmo um saco!
Depois de chegar em Amsterdam sem malas (e ficar 4 dias sem)e em NYC (fiquei apenas 1 dia esperando nessa)eu vou colocar todo o meu "apego" na mala de mão. O resto será "só coisas"...
Que bom que vcs chegaram bem...e sua mala também! Beijos. Mari

Anônimo disse...

Que bom que voltou!!!!

Felipe disse...

Saiu uma matéria no correio braziliense de ontem justamente contando varios casos de roubos e extraviso de malas. Neguinho tá alucinando.

Ano passado, roubaram todas as minhas compras do free shop. Nao me faziam muita falta, mas entrei na justiça e ganhei uma indenização, claro, muito maior do que a oferecida pela maldita TAM.

O lance, é triste dizer, é que eles cada vez mais transferem a responsabilidade pra voce. Dizem pra voce nao deixar objetos de valor na mala, pra voce tirar foto da mala, pra voce trancar a mala direito, pra voce guardar os comprovantes, pra voce levar uma lista comprovando o que estava na mala... quase se esquecem que oo transporte da mala é responsabilidade exclusivamente deles.

Malditos!!!

Beijocas, linda!!!

Isabela disse...

Oi, Carol! Você não deve se lembrar de mim. Fui estagiária da TV Câmara em 2005. Em 2006 e 2007 fiz parte do meu curso de jornalismo na França e hoje estou na CBN. Achei o seu blog porque acabo de começar um também sobre a França. Incluí o seu endereço no site, ok?!

A única vez que perdi uma mala foi em uma viagem de Madri a Paris num voo da Easyjet. Ela não foi encontrada e eu fiquei sem todos os meus presentes de natal que minha mãe havia trazido do Brasil!

Que bom te encontrar! Um beijo!

Joana Praia Rocha disse...

Adorei... coitada da sua amiga do final gente, ai, foi triste mas foi até engraçado.
Joana
http://joanapraia.wordpress.com

Sibele disse...

Entendo vc perfeitamente, amiga. Qdo minha mala sumiu por TERRÍVEIS 48 HORAS naquela última viagem à Itália, quase surto (acho até que surtei) e acabo com o meu casamento. Só pensava: por que não foi a mala do Joaquim???? E, é claro, contabilizava cada vestidinho lindo que tinha levado para desfilar nas ruas europeias.

Anônimo disse...

Pois é..pode ser que quando você abrir a mala..as coisas que estão lá vc nunca mais use..mas são SUAS e ponto!!!!! Não é ser materialista.. mas poxa...são suas coisas...imagina...você (sua bolsa de mão) é roubada...pode ser que tenha apenas documentos e uma maquiagem super borocoxó...mas cara.. vc vai pensar..."poxa"..rs


Agatha..

adorei e fiquei ansiosa para que tudo terminasse bem..devo informar que uma blusa do João do BRASILLLL ficou aqui...rs

Leandro Wirz disse...

"só coisas", my ass!

Ana disse...

Oi, me identifiquei muito com esse seu post. No meu caso foi mudança que ficou meses guardada, no Chile durante o terremoto inclusive... Fiz como você, catarse via blog, só me faltou postar a alegria quando as coisas chegaram: revivi o significado de cada objeto! Não é apego idiota não. É um pouco do que a gente viveu, isso vale muito!

Anônimo disse...

A mala extraviada foi uma só. A minha e a da Dé foram duas masrecebi no dia seguinte imagino como vc ficoua aghagh agh

Mauricio disse...

Eu já esqueci a mala da minha esposa em casa em nossa viagem de férias a Florianópolis.....vocês podem imaginas as consequências...