sexta-feira, janeiro 07, 2011

Vou cantar-te nos meus versos



Todo ano eu juro que vou evitar, mas não consigo. Eu fico ufanista.


Por que diabos que a mesma lua que nos ilumina lá do céu é mais bonita aqui do Brasil? Se são as mesmas as estrelas, por que daqui elas me vêem mais?


Os rios, o mar, a areia resistem bravamente à falta de respeito (de educação, na verdade) e continuam coalhando de peixinhos, conchinhas e maria-farinhas minhas elucubrações filosofais de praia.


A lua ilumina a noite inteira, o azul do céu me injeta ânimo, a chuva me é torrencialmente poética, no quintal da minha mãe há macaquinhos. E ontem, voltando pra casa, eu topei em duas capivaras atravessando a rua.


Que culpa tenho eu se as aves que lá gorjeiam não gorjeiam como aqui?

6 comentários:

ricardo disse...

bem que eu te avisei...

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

Anônimo disse...

Alô Carol! Meu nome é Norberto Morais, sou um escritor português e gostaria de poder falar um pouco com você sobre Paris. Se for possível, me contacte para meu e-mail (nor.mor@gmail.com). Mil obrigados e cumprimentos de Lisboa.

Ps: Peço só para apagar este "comentário", para meu e-mail não ficar aí pendurado. ;)

Felipe disse...

Quero que cheguem logo as Olimpíadas de Londres.

Paulo Arruda disse...

Carol, as estrelas no hemisfério noite são outras. E a Lua lá é "mentirosa", pois se parece com um "C" quando está minguante e com um "D" quanto está crescente.

Belo blog.

Anônimo disse...

La ringrazio per intiresnuyu iformatsiyu