domingo, outubro 24, 2010

Comme des garçons



Eu era muito anos oitenta quando criança e gostava de me vestir de homem. Ou então eu era muito edipiana, mas isso não vem ao caso.

Macacão, colete, gravata – e a boina do meu avô falecido antes de eu nascer, que eu fiz o favor de perder no recreio do curso de inglês (um minuto de silêncio, o sofrimento persiste).

Daí, adolescente, eu usava uma bolsa de tapete de cozinha. E camiseta com frases poéticas comprada na feira. Claro.

Até que, lá pelos vinte e poucos, eu virei, finalmente, uma menina. Só andava de rosa e queria tudo da Hello Kitty. Pior: assalariada que eu era, eu tive tudo da Hello Kitty.

E então, como já não era sem tempo, meu armário finalmente ficou adulto. Só que aí, este ano… ele ficou adulto até demais.

Estou compulsiva por roupa careta. Calça de prega, saia de vó, blaser de homem. Meu modelo de elegância atual é o Albert Einstein. Tipo: grave.

Meu alívio foi conversar a Belle e ver que ela também está passando pela mesma fase – que ela define como fase secretária. Não é igual a físico téorico da relatividade, mas dá quase no mesmo.

A culpa não é nossa. É da coleção de inverno da Zara.

10 comentários:

ricardo disse...

très chic !

Solange disse...

Pois eu não saí dos anos 80 até hoje. Adoro uma camisa (masculina ma non troppo - tem umas da Richard's estampadinhas que adoro) e uma calça masculina, e se Brasília não tivesse virado a antesala do inferno, ainda usaria blazers! (mas a culpa eu divido entre o dna, que me fez alta E gorda, e as confecções, que não têm nada que me sirva :D)

Renato disse...

Preguiiiiiça desse mundinho fazhion.

jana disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

tamine disse...

poxa Carol, maldita verbalização.
eu também estou em fase secretária e não sabia.
excelente.

Camilinha disse...

Poxa, o duro é estar em fase secretária e ver as roupas da Zara custarem, no mínimo, duas vezes mais no Brasil - CONVERTENDO EUROS PARA REAIS!!!!

Leandro Fortes disse...

Seus textos são muito, muito legais. São tão leves que eu venho aqui como quem foge: do Serra, da Dilma, do Lula, e dessa luta que nunca parece ter fim, que é o Brasil.

Vive la vie, en Paris.

bjs

verônica alcovér disse...

Ah, juro que me identifico.
Adoro roupa masculinizada, mas ainda não aprendi a dosar a mão.

Achei o máximo teu timeline de armário!

Anônimo disse...

kkk Carol, vc é demais mesmo...
Mari

Arianna disse...

te entendo muito!