domingo, setembro 18, 2011

De bici e de salto



Vou logo de cara te acalmar: o que você acha que é o maior empecilho para se andar de bicicleta em Paris é, na verdade, o grande facilitador.

Sim, você anda no meio do trânsito. Em muitos pontos há ciclovia mas, mesmo aí, poucos são os lugares em que a ciclovia é completamente separada dos carros. Daí você tem que andar assim no meio dos engarrafamentos, entre um carro e outro. Acontece que isso é ótimo.

Porque nesses lugares que tem muito carro, o trânsito é lento. E aí, sabe o que acontece? O motorista te vê!

E ao contrário do motorista brasileiro, o motorista francês é educado ao volante. Quando há uma fila de carros e tem alguém tentando cortar lá na frente, o cara normalmente... deixa passar! É incrível! Ele pensa: "olha, essa pessoa precisa passar senão ela perde a entrada!" e não "olha, um babaca tentando furar a fila!". Incrível, né? Pois é assim que funciona. Mas voltando às bicicletas.

Meu maior encorajador para andar de bicicleta em Paris reside justamente no fato de que eu dirijo aqui. E inúmeras vezes eu reduzi muito a velocidade porque havia uma bicicleta na minha frente. Esperei para que o ciclista (às vezes tão desajeitado quanto eu) passasse tranquilamente.

Logo, como ciclista medrosa e ocasional que sou, aí vão minhas dicas newbies:

- Tenha em mente que o motorista está te vendo. Faça sinal com a mão para indicar se vai para cá ou para lá. Sempre que possível, mostre ostensivamente sua intenção, tomando corajosamente  o rumo no meio da rua quando não está vindo carro. Claro que eu não me responsabilizo se alguém morrer depois de ler esse post (mas por favor não morram, senão eu vou ficar muito mal).

- Paris é uma descida no sentido Norte-Sul. Um trajeto Montmartre-Champs Elysées (ou mesmo até o Quartier Latin) é moleza. Já o contrário...

- Você tem um Iphone com chip francês? Baixe o aplicativo da Velib'. Ele é a resposta para o principal problema do sistema: não encontrar vaga para estacionar sua bicicleta nos pontos turísticos depois do passeio. O aplicativo te mostra no mapa todos os estacionamentos de bicicleta, quantas bicis livres e quantas vagas cada um possui em tempo real. Eficiência.

- Se você não tem esse luxo tecnológico, em cada totem da velib' tem um mapa das redondezas que mostra os pontos de estacionamento mais próximo. E essa dica quem me deu foi essa velibista experimentada que vocês já conhecem.

- A polêmica do tempo de uso.  A política de tarifação é a seguinte: você paga 1,70 euros por dia ou 8 euros por sete dias de adesão e nos dois casos a primeira hora é gratuita (veja aqui quanto custa o tempo suplementar). Alguns parisienses usam a bicicleta para trajetos curtos - e quando fazem trajetos longos, trocam a bicicleta a cada meia hora. As duas coisas são válidas, depende se sua urgência maior é grana ou vontade de passear sem pensar em nada.

- Dito isso, parece irrelevante, mas lá vai: não deixe sua velib' estacionada fora dos totens. Se for parar num ponto qualquer, encontre um totem e devolva a bicicleta. Vélo parada é taxímetro rodando.

- Last but not least: em Paris você vai aprender que andar de bici é uma excelente maneira de desfilar seus outfits moderninhos. (A dica é podre, eu sei, mas já admiti que estou num momento futilidade à toda prova). Aqui bicicleta não é malhação, é meio de transporte. Então se arrume pro que vai fazer - jantar, ver um espetáculo, ir a uma exposição - não pra andar de bicicleta. Mesmo os saltos são bem-vindos.

2 comentários:

Thales disse...

Olá Carol! Parabéns pelo blog, suas ideias e 'viagens' são inspiradoras!

Vou visitar a cidade-luz ano que vem e gostaria, se possível, de receber seus roteiros para vélib!

Meu email é biagionitadu@hotmail.com

Muito obrigado! Thales

Mariana disse...

Oi Carol! Se não me engano é possivel comprar em bancas também um mapa do velib, com todas as estações marcadas no mapa da cidade! Meu marido tem um aqui, pra quem não tem iphone, quebra um galhão! No site do vélib também da para checar as estações e se programar antes de sair de casa.
Saindo da Bastille (BLVD Richard Lenoir) da para ir até o Canal ST Martin direto por uma ciclovia separada. De bike não tem erro e o passeio é uma delicia!!! Fica a dica para quem topar passear de vélo!
bjus!